selo

Oferecimento

Blog do Cefas

08/10/2014
Santana X Vasconcelos. Duelo de marqueteiros

 

Neste final de 2014, no calor da batalha, o duelo quase que passará despercebido. Mas, se puder, siga o conselho deste escriba: grave os programas do horário gratuito e os debates entre os candidatos Dilma Roussef e Aécio Neves. Por quê? Porque eles vão, mais que simplesmente decidir a eleição presidencial, vão mostrar o talento e criatividade de dois feras do marketing político brasileiro: o baiano João Santana e o mineiro Paulo Vasconcelos.

 

Um miniperfil dos dois profissionais de marketing. Santana ajudou a eleger seis presidentes da República: Lula (reeleição, 2006), Mauricio Funes (El Salvador, 2009), Dilma Rousseff (2010), Danilo Medina (República Dominicana, 2012), José Eduardo dos Santos (Angola, 2012) e Hugo Chavez/Nicolás Maduro (Venezuela, 2012).

 

Vasconcelos, diretor da agência mineira Vitória Comunicação Integrada, foi escolhido para assumir o marketing de Aécio na corrida presidencial depois da saída de Renato Pereira. Paulo já conduziu campanhas anteriores de Aécio ao senado e ao governo de Minas – ajudou a eleger Aécio duas vezes ao Palácio da Liberdade, repetindo a fórmula vitoriosa com Anastasia, que deixou o cargo para se eleger senador no último domingo.

 

A comparação é chula, mas será uma luta de UFC o duelo entre João Santana e Paulo Vasconcelos. Principalmente agora, quando os institutos de pesquisa perderam muito em credibilidade, após a ascensão meteórica de Aécio na última semana do primeiro turno. Marina foi acometida do que os comentaristas políticos estão chamando de “desidratação”. Só que isso não foi percebido a tempo pela sua equipe de marketing – procurei até no Google e não descobri o nome do marqueteiro; deve ser o mesmo escolhido pelo finado Eduardo Campos.

 

Preparem-se, então, para uma batalha campal nos bastidores de cada campanha. Dois profissionais experientes, detentores de vários leões, se a eleição fosse um Festival de Cannes. Por detrás de cada cena, de cada frase no horário do TRE (onde os dois candidatos terão uma mesma cota de tempo, o que não ocorreu no primeiro turno), estará uma dica, uma recomendação, ou mesmo uma rígida orientação do profissional de marketing. Durante os debates; nas perguntas, réplicas e tréplicas, pode ter certeza de que haverá, certamente, a inteligência, sagacidade e presença de espírito do candidato; mas ele estará, como um bom ator, também seguindo à risca o script elaborado exaustivamente por um punhado de mãos – inclusive as do próprio presidenciável.

 

Se este segundo turno ficará na história como um dos mais disputados da política brasileira, sob o ponto de vista televisivo, a guerra das equipes de marketing é uma atração à parte. E quem acompanhar de perto só terá a ganhar, principalmente se for um profissional da área de comunicação e marketing.

 

OBS.: O horário gratuito eleitoral no rádio e televisão começa sábado. Quanto aos debates entre os candidatos, as emissoras ainda não anunciaram as datas.

 

*O Grupo Minas Marca não se responsabiliza pelos conceitos, ideias e opiniões emitidos nos blogs assinados.  

 

Notícias relacionadas:

Mercado na expectativa

Eleições 2014

Eleições e o mercado de comunicação

Comentar
Deixe Sua Resposta

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Últimos Comentários

Nenhum comentário ainda.
Publicidade