selo

Perfil

10/06/2016
Uma carreira dedicada à produção gráfica

alexandreO produtor gráfico Alexandre Moisés de Oliveira está no time da Reciclo Comunicação há 13 anos. Na agência, ele é responsável por dar todo o suporte à produção de peças gráficas impressas. Para isso, participa do planejamento das campanhas e orienta a equipe de criação sobre formatos e especificações técnicas. Além disso, faz a interface com gráficas e demais fornecedores. “Meu trabalho requer conhecimento técnico da área e das opções disponíveis no mercado para a viabilização dos projetos”, comenta.

 

Formado em um curso técnico em artes gráficas, Alexandre comenta que a graduação em Publicidade e Propaganda nunca fez falta em sua carreira. “As faculdades não transmitem aos alunos todo o conhecimento sobre produção gráfica que é necessário para atuação na área. No meu caso, esse know how foi adquirido no mercado de trabalho”, afirmou.

 

Na Reciclo, Alexandre teve a oportunidade de atuar em projetos de diversos clientes de renome. Entre esses, ele destaca as campanhas de lançamento das antigas Telemig Celular e Amazônia Celular. Outro trabalho de destaque foi o festival “Comida di Buteco”, que depois se expandiu para outras cidades brasileiras.

 

Mudando junto com o mercado

Antes de integrar a equipe da Reciclo, Alexandre trabalhou na mesma função em outras agências como a RC Comunicação, New Design e Exercere. Somando todas essas experiências, o profissional acumula 19 anos de atuação na área.

 

“Quando comecei, o cenário de produção gráfica era bem diferente. Hoje, temos acesso a softwares de edição de imagem muito mais sofisticados. Além disso, as gráficas passaram por uma evolução muito grande no que diz respeito aos maquinários. A internet também abriu novas possibilidades para contratação de fornecedores em qualquer lugar do Brasil”, comentou.

 

Outra mudança ocorrida ao longo de sua trajetória foi a diminuição da demanda de material impresso por parte dos clientes. Para Alexandre, essa mudança está relacionada à preocupação com a sustentabilidade, mas também pode ser explicada pela evolução digital do mercado. “Hoje em dia, um manual impresso que era entregue junto com um produto adquirido, é facilmente substituído por um endereço eletrônico ou QR Code para o consumidor baixar e ter todo conteúdo digitalizado. Além disso, presentations, catálogos e folders migraram para a internet, seja com acesso livre ou controlado”, comentou.

 

Esses movimentos do segmento acabam produzindo efeitos na inserção do profissional de produção gráfica no mercado de trabalho. “Já podemos notar uma mudança na área, por causa da redução da demanda por peças gráficas e aumento da busca por soluções digitais. Procuro sempre acompanhar e entender esses novos cenários, mas acredito que as técnicas e conhecimentos do produtor gráfico podem ser aplicados também em outros setores”, diz.

 

Aos 37 anos, casado e pai de um casal de filhos, Alexandre recarrega as baterias fazendo programas familiares. 

 

Notícias relacionadas:

Luiz Otávio Pôssas: o homem por trás do Grupo Vale Verde

Mídia, esporte e muito trabalho

Política e futebol se discute? 

Comentar
Deixe Sua Resposta

Comentar

* = Preenchimento obrigatório
Nome *
Email *
Mensagem *
 

Últimos Comentários

Nenhum comentário ainda.
Publicidade